Ganhe qualquer pacote do The Sims 4 ou o Jogo Base!

Dia Internacional da Mulher? As mulheres fazem o The Sims todos os dias!

Confira o blog oficial em comemoração ao Dia da Mulher!

Hoje, a equipe do The Sims™ celebra o Dia Internacional da Mulher! Queremos agradecer especialmente a todas as mulheres incríveis que fazem parte da comunidade do The Sims. De jogadoras casuais a criadoras de conteúdo, vocês fazem o The Sims; mulheres fazem o The Sims. Sem vocês, nosso jogo e nossa comunidade não seriam o que são hoje.

Temos sorte de contar com uma comunidade internacional próspera, repleta de criadoras talentosas e brilhantes, e esta é a época perfeita para darmos destaque a algumas delas. Nossos jogadores e jogadoras estão no mundo inteiro, em lugares em que a igualdade de gênero está mais próxima de ser conquistada, e em lugares em que ainda é preciso fazer muito progresso. Elas têm várias histórias, religiões, sexualidades e padrões socioeconômicos. Suas experiências dão forma ao que jogam e criam, assim como todas as Simmers que contatamos para celebrar e empoderar outras mulheres com seu talento e suas criações.

Simba World

Local: Coreia

Joga desde: 2001

Alguma das oportunidades mais gratificantes surgem dos nossos problemas. Antes de se casar, Simba World teve dificuldades no ambiente de trabalho que a forçaram a sair do emprego. “Realmente existe uma barreira na sociedade coreana que as mulheres não conseguem quebrar facilmente”, conta a ilustre YouTuber. “Foi muito difícil arranjar emprego depois de me casar. Eu tinha uma vida ocupada, mas quando fiquei desempregada, cada dia se tornou arrastado e vazio.”

Foi quando Simba World começou a se dedicar ao The Sims e ao YouTube. “Eu me apaixonei pelo The Sims porque gosto de criar minha própria história especial e, quando comecei no YouTube, não tinha nenhum YouTuber na Coreia que fizesse conteúdo integral de The Sims. Agora, estamos passando conhecimento a novos YouTubers e formando uma comunidade! Eu influenciei a vida de outras pessoas.”

Atualmente, ela comanda o canal The Sims Creators, no YouTube. Seu próprio canal é cheio de histórias criativas, com construções belíssimas e dicas de jogo. (As pessoas que assistem também podem fazer download de algumas obras dela a partir da Galeria, para onde ela envia muitas de suas construções.) Seja inspirando a próxima geração ou se divertindo sozinha, Simba World segue o próprio lema: “Não desista, dê o seu melhor até o fim. Às vezes, há oportunidades inesperadas por aí!”

xmiramira

Local: Estados Unidos

Joga desde: 2003

Quando xmiramira lançou o conteúdo personalizado melanin pack anos atrás, “causou um grande diálogo sobre mudanças que precisavam ser feitas não apenas na franquia do The Sims, mas nos jogos em geral. Tudo o que eu queria era fazer com que Simmers afro e de cor pudessem ser eles mesmos”, ela alega. Agora, a ganhadora do The Sims Spark’d continua a fazer isto todos os dias.

Além das aparições na TV e dos vídeos do The Sims, xmiramira também fala em coletivas e defende uma representação melhor no jogo. “Se, em algum lugar, uma pessoa de cor estiver jogando do jeito que gostaria, por ter me visto fazer o mesmo, então acho que tive um impacto relevante na comunidade”, ela diz.

A cada dia, o impacto fica maior. Recentemente, ela tem trabalhado com a equipe de desenvolvedores do The Sims 4 para melhorar as atualizações dos tons de pele do jogo básico. Quando reflete a respeito do que conquistou, ela diz que “The Sims, indiretamente, causou um certo nível de empoderamento em mim. Estar nesta indústria envolveu algumas coisas que não eram sonhos, porque eu nem sabia que era possível conquistá-las.”

Que conselho ela daria para outras pessoas que estão tentando mudar o jogo e o mundo? “Vá em frente. Defina seus objetivos e corra atrás deles. Ignore pessimistas. Não deixe que pessoas dominem sua mente. Você pode trazer mudanças, sejam grandes ou pequenas.”

Priscila Paes

Local: Brasil

Joga desde: 2000

Quando seu pai comprou o The Sims pela primeira vez, Priscila Paes tinha 13 anos e não fazia ideia do que o jogo se tornaria para ela. Hoje, vinte anos mais tarde, Priscila Paes joga para relaxar e esquecer-se dos problemas. “É quase como voltar no tempo”, ela fala em relação ao passatempo. “Sofro de ansiedade, mas quando jogo, fico tão concentrada que me esqueço dos sentimentos ruins e das preocupações.”

Priscila Paes costuma criar Sims inspirados nas pessoas próximas a ela, personagens de livros e até mesmo seu amado cachorro. O perfil dela na Galeria tem como destaque muitos destes Sims e algumas construções. No ano passado, ela iniciou uma série no YouTube focada em apresentá-los no jogo. “Os vídeos foram momentos que me divertiram e me afastaram de muitos eventos ruins”, ela diz. “Os seguidores também se desconectavam do mundo por um instante e os acompanhavam como em uma novela. Era quase uma terapia.”

Mas, como uma mulher de 33 anos, Priscila Paes reconhece que encarou alguns desafios. “Tenho sido julgada nas redes sociais por jogar”, ela admite, mas isto não a desencoraja. “Eu acredito que não haja problema em levar uma vida adulta e curtir um jogo de quando você era mais jovem. O jogo me ajuda a clarear a mente e desenvolver minha criatividade. Ele me inspira a fazer coisas novas e diferentes no trabalho.”

Ela também conheceu outras pessoas que adoram o jogo e sentiu-se ainda mais inspirada a jogar novamente. “Permita-se fazer o que for bom para você, o que você sentir vontade, sem ter vergonha disto. Sempre haverá alguém com a mesma paixão que a sua”, ela aconselha.

Negaoryx

Local: Estados Unidos

Joga desde: 2000

Negaoryx lembra-se que, quando sua família comprou The Sims pela primeira vez, ela e a irmã acordavam cedo nos finais de semana para ligar o computador da família. Elas se revezavam para jogar e assistiam enquanto a outra jogava. Negaoryx diz que “foi amor à primeira vista”.

Vinte e um anos depois, isto não mudou. “Ainda continuo jogando The Sims (e faço transmissões no Twitch!) porque ele me traz a mesma alegria de quando descobri o jogo, ainda criança. Eu adoro, não importa o que esteja acontecendo no mundo ou em que passo minha vida esteja, poder iniciar o jogo e criar um momento e um lugar para fugir.”

Conforme crescia, Negaoryx precisava desta fuga, às vezes. “The Sims foi absurdamente impactante para mim no que tange a embarcar em um processo de autodescobrimento. A primeira representação queer que vi foi em Sims machinima, que assisti no YouTube. Antes de eu me assumir para alguém offline, me senti notada e aceita pela comunidade LGBTQ+ graças aos criadores que descobri na época do The Sims 2.”

Agora, Negaoryx quer ser a mesma luz de esperança para outras pessoas. “Tem tantas garotas jovens e mulheres que cresceram sem poder ver a si mesmas no jogo. Se mesmo uma única pessoa se sentir notada ou representada ao ver meu conteúdo, então acho que ele se tornará a coisa mais impactante que já fiz na minha carreira.”

Mas esta não é a única coisa boa que vem da comunidade. “Graças a Simmers como XMiraMira e EbonixSims, o The Sims mudou e evoluiu para melhor, ganhou mais diversidade e reflete melhor as mulheres que o jogam”, diz Negaoryx. “Gosto muito porque na comunidade do The Sims “todos inspiram todos” continuamente, e também, porque passamos a sensação do jogo ser muito maior e inclusivo com nossos comentários, trabalho árduo e conteúdo que criamos uns para os outros.”

“Não tenha medo de se pronunciar e defender o que você acha que é certo e deseja ver nos jogos. É válido lutar por um mundo melhor, e os jogos são para todos.”

OyakeLemon

Local: Taiwan

Joga desde: 2000

OyakeLemon é bem conhecida por quem assistiu o desafio do legado de 36 episódios dela, o Zhengs’ Legacy. “Eu curto muito criar vidas e carreiras diferentes para os Sims”, ela afirma, em relação ao jogo. “Prefiro uma jogabilidade imersiva, e o The Sims sempre foi um jogo de diversidade e inclusão. Há personagens aguardando para serem descobertos e muitos estilos de vida diferentes para serem vividos.”

Por fim, isto a levou a começar um canal no YouTube em que ela joga desafios e se aprofunda nas histórias dos Sims. “Às vezes, fãs me dizem que meus vídeos ajudaram em momentos difíceis. É muito bom poder ajudá-los assim, e eu adoraria me envolver mais no The Sims com este propósito.”

Isto vale para OyakeLemon também. Ano passado, a comunidade a inspirou a lançar um aplicativo para Android com base em algumas de suas transmissões ao vivo. “O aplicativo tem objetivos de tempo limitado para os Sims e conta com recompensas ou punições conforme os resultados. Originalmente, era um conteúdo contínuo nas minhas transmissões ao vivo, e muitas pessoas queriam experimentar.”

Seja enviando suas criações para a Galeria, jogando longos ciclos de vida de Sims ou apenas interagindo com a comunidade, ela diz que “The Sims provavelmente será o jogo que marcará minha vida”.

TabathaPacer

Local: Chile

Joga desde: 2004

Às vezes, TabathaPacer sofre para sair da zona de conforto e compartilhar suas criações, mesmo sendo uma jogadora e criadora de conteúdo. “Para ser bem sincera, eu me acostumei a ter um jogo muito pessoal, pois jogo desde que era bem novinha”, diz ela, em relação à sua experiência com The Sims. “Talvez esta seja uma oportunidade de mostrar à comunidade o que posso fazer.”

A comunidade da TabathaPacer é bem jovem, então ela costuma focar no entretenimento do jogo. “Sinto que o The Sims me dá espaço para curtir um tipo de jogo diferente. Gosto de criar personalidades distintas para meus personagens e viver aventuras supercomplexas; as famílias têm muito a nos dizer. É um novo universo, que é muito empolgante, em que você pode ter, realmente, a sensação de estar em comunidade.”

The Sims também mostrou para ela um “universo inteiro de possibilidades” no mundo dos videogames. “Os papéis de gênero não tem nada a ver com a indústria dos videogames. Temos que lutar para ser quem quisermos ser. Nada é tão difícil ou impossível assim, e nós, mulheres, podemos conseguir tudo. Vamos continuar mostrando para todos que somos gente.”

Lili Cross

Local: Espanha

Joga desde: 2000

A jogadora e autora Lili Cross sabe como é difícil se lembrar de ter alegria na vida. “Hoje é fácil cair em depressão, e todos nós nos esforçamos para que não aconteça, apesar de, às vezes, ser uma tarefa dificílima porque nosso ambiente é intenso demais”, ela admite. “Por ser uma mulher que joga videogame, as pessoas tentaram me sexualizar, difamar minha aparência física ou o tom da minha voz. Mas quer saber? Esta tentativa de nos colocar para baixo que se lasque. É hora de nós, mulheres, fazermos o que quisermos.”

Em 2015, ela lançou um canal no YouTube em que incentiva a tolerância, o amor e a alegria enquanto joga The Sims. “Um momento bizarro e engraçadíssimo ou uma risada absurda pode alegrar o dia de alguém, sem que esta pessoa perceba”, ela diz. “Gosto de olhar o lado bom das coisas. Esta é a razão de estar aqui, para tentar mudar isto em cada pessoa que me assistir.”

Suas aventuras no The Sims a encorajam a se opor às expectativas da sociedade: “Não pense em como a vida deve ser em vez de como poderia ser. Sonhe grande e viva com amor pelo que faz.”

Qual mulher na comunidade você mais admira? Cumprimente nossas jogadoras nos Fóruns do The Sims, compartilhe suas Simmers favoritas conosco usando #WomenMakeTheSims no Twitter e no Instagram, curta a gente no Facebook e inscreva-se em nosso canal no YouTube. Você também pode se inscrever no Boletim do The Sims 4 para receber todas as novidades assim que forem anunciadas.

malika
Simmer desde criancinha, também moderadora voluntária da EA e AHQ Hero. Fã de gatos, séries de tv e livros de mulherzinha.